Igreja do Véu: igreja ou heresia? [3 de 5]

25 03 2010

Na ocasião em que comentei o livro do Raimundo de Oliveira, o que mais me assustou foi a crítica a algo (no caso, o marxismo)  que o autor não conhecia. Ora, a crítica pressupõe conhecimento razoável daquilo que se propõe analisar. E, por incrível que pareça, fica uma sensação de que isso se repete também no livro do Pastor Amaral que ora analisamos, não obstante aos longos anos declarados na Congregação.

As informações apresentadas sobre a história da Congregação demonstram um pouco isso. Há discrepâncias enormes entre o que é declarado pelo autor e o que de fato a história registra. Mesmo a história do pentecostalimo, em alguns trechos, é visto de forma equivocada ou errônea. Vamos a alguns deles.

Erros históricos

1. A Congregação Cristã foi a maior igreja nos EUA até os anos 60.

Chegou a ser considerada a maior igreja pentecostal dos EUA., isso até os anos 1960. De lá para cá foi se definhando e hoje têm entre congregações e igrejas, aproximadamente 30 locais de reuniões. Sendo considerada uma igreja quase extinta naquele país.” (p. 9)

Em curto trecho, tantos erros. Primeiro, Amaral desconhece que a Congregação Cristã, como igreja organizada nacionalmente, inexistiu nos EUA até a década de 1980. Consequentemente, é faltar com a verdade dizer que foi a maior igreja pentecostal dos Estados Unidos. As diversas igrejas ligadas ao mesmo ancião que visitou pioneiramente o Brasil, Luigi Francescon, eram profundamente congregacionalistas e de matiz étnica. As igrejas originais não se definharam. Muitas ainda hoje conservam-se na organização feita desde o princípio, pautadas pelo absoluto congregacionalismo. Outras se filiaram nominalmente as diversas denominações nacionais americanas. Algumas outras, na década de 1980, resolveram se relacionar, criando uma denominação semelhante a que hoje está presente no Brasil.  Tal fellowship foi constituída originalmente por três congregações, saltando, nos últimos trinta anos, para quase cem locais de culto. Isso não é exatamente um estado de definhamento.

2. A Assembléia de Deus foi fundada depois da Congregação Cristã.

Fazendo um paralelo, hoje temos quase 62% dos evangélicos americanos nas Assembléias de Deus, que tiveram sua fundação muitos anos posteriores aos da Congregação Cristã”. (p. 9)

Segundo dados da Assembléia de Deus nos Estados Unidos, o número de membros está em torno de três milhões. A população dos Estados Unidos, segundo estimativa feita em 2005, está um pouco menos de trezentos milhões. Isto é, a Assembléia de Deus, hoje, tem em suas fileiras algo em torno de 1% da população estadunidense, percentual desproporcional aos 62% declarados.

Além do mais, a Congregação Cristã foi organizada na década de 1980, conforme já explicado. A primeira tentativa de comunhão entre as igrejas pentecostais italianas se deu em 1927, ocasião em que, reunidos em Niágara Falls, os principais líderes organizaram pontos de doutrina comuns. Todavia, não houve uma organização formal que, de fato, aconteceu com a Assembléia de Deus em 1914.

Então, não resta dúvida que a Assembléia de Deus se constituiu, como organização denominacional, anteriormente a Congregação Cristã.

3. Problemas com o progresso em números

O maior exemplo da sua fase de decadência é a falta de crescimento. A igreja no bairro do Bras, sua sede mundial, foi construída nos anos 50, e desde então não foi edificada nenhuma igreja do mesmo porte ou mesmo maior que ela, que comporta não mais que 5.000 pessoas. (….) Pelos relatórios da própria Congregação, suas avaliações de 1987 até 1997, seu crescimento em nível nacional nao superou a marca dos 5% anuais, o que equivale a quase 0%” (p. 10)

Ora, se decadência pode ser medida por falta de crescimento, o que dizer da Assembléia de Deus norte-americana, que cresce a 1% ? Se 5% é “quase 0%” (SIC!), o que dizer de 1,3%? E nem por isso, veja, podemos concluir que a Assembléia de Deus estadunidense está em decadência. Pelo contrário; a AG foi e é referência para o pentecostalismo histórico mundial.

O desconhecimento sobre a pouca construção de templos enormes também evidencia a falta de conhecimento sobre a já pouca literatura oficial. Diversos encaminhamentos sobre a limitação do tamanho das congregações foram feitos nas Reuniões Gerais Anuais do ministério em 1964, 1971 e mais recentemente em 2007. A decisão por não construir enormes casas de oração foi deliberada.

4. A grandeza e os monumentos

Até os meados dos anos 30, esse movimento era um dos maiores naquele país. Havia centenas de igrejas espalhadas por todo o país. Hoje, daquele mover espiritual, restam poucas igrejas, o movimento acabou, ficaram grandes monumentos, e a igreja comparada a outros grupos denominacionais, está morrendo”. (p.11)

Se Raimundo de Oliveira faz citações de diversos autores e não os listam na bibliografia (não se sabe porque, embora essa estratégia é muito utilizada quando alunos têm contato com bibliografia secundária. Isto é, lê o livro de fulano que cita ciclano e aí o espertinho escreve, no trabalho, a citação de ciclano como se lido-o em primeira mão), Amaral não tem preocupação em lastrear seus fundamentos bibliográficos para referenciar sua análise histórica. Aliás, não há nenhum elemento que possa nos levar a concluir que o autor trabalhou com fontes primárias  sobre a história do movimento pentecostal italiano nos Estados Unidos. E isso é grave, porque resulta em afirmar inverdades. Se a ética do pesquisador laico o obriga a verificar a informação, qual seria a ética do pesquisador evangélico?

Nesse sentido, não há nenhum indício de que a Congregação Cristã foi uma das maiores denominações dos Estados Unidos. Não há nenhuma referência sobre os “grandes monumentos” em nenhum livro que trate da história do pentecostalismo. Nem sequer o próprio autor indica quais “grandes monumentos” seriam esses.

5. A relação entre Daniel Berg, Gunnar Vingren e Luigi Francescon

Luis Francescon saiu com mais dois irmãos com destino ao Brasil, inclusive estes outros dois começaram o movimento pentecostal em Belém do Pará, dando origem a Assembléia de Deus no Brasil” (p. 11)

A matriz da Assembléia de Deus e da Congregação Cristã no Brasil é comum, disso não há dúvidas. Além de Berg, Vingren e Francescon terem recebido na mesma igreja (pastoreada por William Durham, em Chicago) mensagem para vir ao Brasil, o diário de Gunnar Vingren relata, em seu diário, um encontro com Francescon na década de 1920. Isso demonstra o espírito fraternal entre os dois movimentos pentecostais.

No entanto, Francescon jamais saiu dos Estados Unidos acompanhado por Daniel Berg e Gunnar Vingren. Na primeira viagem ao Brasil, em março de 1910, teve como companheiro Giacomo Lombardi. Francescon, Vingren e Berg vindo juntos para o Brasil em 1910 contraria tanto a história oficial da Assembléia de Deus quanto da Congregação Cristã.

6. Os rachas na CCB

A Congregação Cristã no Brasil já passou por 3 rachas. A primeira em 1949, a segunda em 1961 e a última em 1990” (p.31)

Por causa de todo esse radicalismo, já aconteceram várias tentativas de cisão dentro da Congregação. O primeiro em 1949, outro em 1957, e o mais recente em 1990” (p. 37).

O problema com a história reflete também quando o autor anuncia “rachas” na CCB. Nas duas passagens em que se refere a divisões na denominação, Amaral não se encontra com as datas. Se 1949 e 1990 é comum, há uma imprecisão quanto a segunda. Novamente, anuncia um fato e não apresenta evidências disso. Que rachas foram esses? Representou uma perda significativa de membresia e igrejas? Não, porque, ao que parece, da mais forte cisão que a Congregação teve – em 1991 – o fato se limitou a algumas igrejas. Do ponto de vista histórico, não chega a ser uma divisão de grandes proporções.

7. Heranças históricas da Igreja Católica

Lamentavelmente é uma igreja que copiou o modelo de administração da Igreja Católica Apostólica Romana, se tornando muito diferente das igrejas evangélicas. (…) Da mesma forma que os católicos romanos se submetem ao Vaticano (…) os adeptos da Igreja do Véu estão submissos à igreja do Brás.” (p.10)

Outra descoberta é que o véu tem a sua origem nas irmãs católicas” (p.43).

O modelo de administração da Igreja Católica é episcopal, no qual é acompanhado pelas igrejas anglicana, metodista, universal do reino de Deus, internacional da graça de Deus, entre outras. Isso não as fazem mais ou menos cristãs. Esse é o primeiro ponto.

Segundo é que o uso da palavra submissão, enquanto colocadas parelhadas o Brás e o Vaticano, intencionalmente induz ao leitor a avaliar negativamente a comparação. Seria diferente se disséssemos que, “da mesma forma, os assembleianos se submetem a CGADB, ou CONAMAD, ou alguma outra convenção”? Não.

Terceiro, o fato de a Igreja Católica ter preservado até o Concilio Vaticano II o uso do véu não pode ser precedente para afastá-lo. Fosse assim, deveríamos deixar de crer na Trindade, porque essa “tem a sua origem nos padres católicos”.

Temos, portanto, uma sequência notável de incorreções.

About these ads

Ações

Information

42 responses

26 03 2010
Ricardo Oliveira

Perfeitos esclarcimentos!
É difícil de acreditar que existem “pesquisadores” dotados de tal preguiça em perseguir os fatos. Mas, enfim, cá estamos ao menos dois preocupados em esclarecê-los.
Apenas um pequena correção, se é que me permite: Quem acompanhou Francescon em viagem a América do Sul, em 1910, foi Giácomo Lombardi.
Quanto ao possível “racha” de 1991, vc podeia me dar um panorâmico?
meu e-mail> rikardo_olyveira@hotmail.com

26 03 2010
Juliano Rosa

Prezado Ricardo,

Primeiramente, é bom tê-lo por aqui.

Agradeço pela correção; já providenciei a troca do Giuseppe pelo Giacomo. :)

Grande abraço,

Juliano

1 04 2010
LEANDRO

NESTE LINK HA FOTOS E VIDEOS DE IGREJAS SEMELHANTES:
http://WWW.MISSAOCRISTADOBRASIL.BLOGSPOT.COM VALE A PENA CONFERIR!

3 04 2010
Hélio Marques

Muito esclarecedor, já li varios artigos sobre a CCB, em sites, blog’s, livros e diversos. Os que não são membros dela ao se aventurar escrever a respeito não o fazem com propriedade, dão informações absurdas, em portugues claro, mentem! Juliano quando voce terminar esse tema vou colocar um link no meu blog direcionado ao seu e estendendo um pouco mais um assunto tudo bem?

Hélio

15 04 2010
Juliano Rosa

Hélio,

Vi agora seu blog e lamentei muito pelo cancelamento do mesmo. Desejo seu retorno em breve.

Deus abençoe.

6 04 2010
Daniel Pereira

Caro Juliano,

Muito boa sua análise.

Já vi este livro com o Ricardo Alexandre, realmente o autor expõe assuntos particulares como se a denominação fosse a responsável pelo fato.

Quem quer falar da CCB, deve conhecê-la, ponto inicial para qualquer crítico, pesquisador, etc…

Você deve ter lido o relato do Hélio ao participar de um encontro onde o tema era a CCB. Mascaram os fatos para parecer verdadeiro.

Temos erros? Muitos, mas não é possível que só haja erros!

A verdade acima de tudo.

Abraço,

15 04 2010
Juliano Rosa

Pois é. Li sim.

Mas, falando sobre nossos erros, acho muito interessante a perseverança nas fileiras da CCB a favor do genuíno evangelho. Fico muito triste quando recebo notícias de que alguns mais esclarecidos saem da nossa denominação. Tenho firme confiança de que dias melhores virão em que a Congregação se assentará, cada vez mais, sua trajetória nos fundamentos bíblicos.

Grande abraço.

15 04 2010
16 04 2010
Julio Cesar Bueno

Parabéns irmão por esse estudo e contraponto ao “Igreja do véu”. Ponderação e bom senso, coisa que nem se sempre se ouve por aí da CCB. Deus te abençõe.

21 04 2010
Rodrigo Tomaz

Coitado de Todos vocês, que tentam
procurar defeitos, para atingir a ÚNICA,
repito, a ÚNICA OBRA VERDADEIRA que
levará para o céu. Vocês como sempre
visam menbros para a igreja, com isso
com mais menbros mais dinheiro. Não é?
e nem vem dizer que estou mentindo, pois
o dízimo foi abolido, pois está na biblica
que muito envergonha a Deus, o dízimo era
pelos pecadores. Mas vocês sempre interpretam
de outra forma. Mas é claro e o LUCRO?
Na CCB não queremos quantidade, queremos qualidade.
e isso é o que nunca houve na Assembléia.
Pastorzão, enquantos as ovelhas estão cedo trabalhando, para
depois te pagar o “dízimo”, você está lá deitado na cama dormindo
pois ganha tudo só pela pregação. Ah Jesus porém cobrava quando
pregava? Não lembro de ter lido isso. São uns verdadeiros comedores
de lã das ovelhas, e tudo por oculto.
Tenha Pena de você mesmo, e veja o que você está fazendo pobre
Pastor, meu não pois meu unico pastor é jesus cristo, voce porém
jamais daria sua vida para as ovelhas.
Pense bem ou pederá ser tarde.

26 04 2010
Juliano Rosa

Rodrigo, agradeço muitíssimo sua contribuição. Todavia, vamos por partes para não confundir os leitores:

1. A “única obra verdadeira que nos levará para o céu” é aquela consumada por Cristo na cruz. Não tenha dúvida, meu irmão, disso!

2. Quanto as críticas, fundamente-as biblicamente. Fica difícil dialogar quando, por exemplo, você se refere que o “dízimo era pelos pecadores”. Sinceramente, eu não entendi qual é o seu argumento.

3. Discutir “qualidade x quantidade” para diferenciar Assembléia de Deus da CCB é um contrasenso. Quer dizer que a CCB não pensa em quantidade, isto é, em propagar cada vez mais o evangelho de Cristo? Debater esse tema tendo isso como premissa, a meu ver, não é correto.

4. O dízimo na Assembléia não é pago ao pastor, e sim à Igreja. Uma parte da oferta recebida pelo dízimo é que constituirá o sustento do pastor. O sustento, convenhamos, É BÍBLICO, neotestamentário. (Se nós vos semeamos as coisas espirituais, será muito que de vós recolhamos as carnais? Se outros participam deste poder sobre vós, por que não, e mais justamente, nós? Mas nós não usamos deste DIREITO; antes suportamos tudo, para não pormos impedimento algum ao evangelho de Cristo. I CO. 9:11-12). Veja: Pauloo tinha DIREITO, usufruido que era por outros apóstolos. Apenas achou por bem não usá-lo, no que é acompanhado pela Congregação desde seu início.

5. No mais, achei a linguagem um pouco ofensiva e cheia de generalidades. Não apagarei, pra ficar aqui como registro de um possível debate. Agradeço, muito, sua intervenção.

Um abraço,

Na paz de Deus.

15 12 2013
CARLOS NETO

ME EXPLIQUE NO AMOR DE DEUS O CAPITULO JOÃO 10:1;21

22 02 2014
marcos

Vcs da assembleia sao todos enganadores da verdade a unica que ensina a verdade e a ccb

24 11 2012
cleomar

bom dia agora 01:17 da manha tenho lido seu comentario sobre o outro ai me desperta a curiosidade de qual seu conhecimento da biblia pois em 1 ponto não acredito que a ccb e a unica ,pois o caminho e Jesus e não a ccb,2 vc cita o dizimo como erro pois então quero colocar meu conhecimento sobre tal ,vc esquece o que os evangelhos dizem ,não concordo como estao usando,mas as escrituras não desaprova ,sim ensina. 3 vc esquece quando o apostolo diz que o obreiro é merecedor do seu sálario,ou vc não leu essa parte. Não esqueça que conhecer a Biblia não é ler ela engessado conforme vc um dia foi ensinado. O profeta
Oséias fala que depois de conhecer devemos prosseguir em conhecer,
não viva somente de ensinamentos de homens pois ao longo da historia humana muitos levaram o povo ao desviu da palavra. O propio Deus diz que seu povo peca por falta de conhecimento depois Jesus declara tambem. Vc deveria conhecer o manual de vida do ser humano antes de fazer comentarios basiados em pessoas que por vezes são seres humanos cheios de erros , mais as sagradas escrituras nao erra.

21 04 2010
Rodrigo Tomaz

Desculpe se fui muito precipitado,
eu errei, pois tenho o ensinamento
de não discutir de forma alguma
religião, pois não sou eu que vou
abrir seus olhos, apenas tento ajudar
isso cabe somente ao senhor.

Mas aqui vai um link para você, e
para os outros que no engano
estão.
Aqui tem tudo explicando sobre a
CCB e explicamos e mostramos na Biblía,
faça sua parte se não quizer continuar no engano.

http://www.sabetudo.net/ccb/ConhecaMelhorACcb.htm

26 04 2010
Juliano Rosa

Prezado Rodrigo,

Você não foi precipitado. Não mesmo! Apenas exprimiu o que de fato pensa – e é seu direito.

Gostaria apenas de lhe dizer que esse blog não é do pr. José Amaral. Portanto, muito provavelmente ele não lerá sua mensagem e, obviamente, não a responderá.

Quanto aos enganos, talvez o maior deles – e talvez não estejamos imunes a ele – é o exclusivismo denominacional. Pense, meu irmão, sempre assim: a salvação está em Cristo, que por sua Graça, estendeu-nos esse privilégio – GRATUITAMENTE, pela fé. Cristo é o caminho. Pensar diferente é estar vivendo em engano.

Deus te abençoe,

Sempre.

24 11 2012
cleomar

caro rodrigo tomaz essa questão de não discutir de forma alguma religião é a saida e desculpa que alguns sem conhecimentos das sagradas escrituras tem pra fugir do debate que a biblia sagrada ensina,pois o apostolo Paulo diz que por dois anos ele discutiu fervorosamente as sagradas palavras contida na biblia ,dessa maneira esse livro sagrado deve ser discutido sim para o mesmo proposito que levou o apostolo a discutila. Para que o nome do Senhor seja glorificado

5 11 2010
ramon

eu pela graça e misericórdia sirvo a deus neste caminho e maravilhoso,e tenho a convicta certeza que se permanecer firma na SÃ DOUTRINA erdarei a coroa da vida eterna junto com todos os santos!
o senhor jesus diz:PAI FAÇA DE MIM UM SÓ POVO ASSIM COMO SOU EU E TÍ
SENHOR SENHOR ESPULSEI DEMONIOS EM TEU NOME..
NÃO HÁVERÁ FUGA PARA OS PASTORES NEM SALVAMENTO PARA OS PRINCIPAIS DO REBANHO,jeremias25;34
A CCB é só uma placa,congregação,pq ali tem um povo reunido buscando a deus,cristã,pq somos cristãos,no brasil,pq estamos no brasil
O que salva é a graça,a promeessa que esta na nossa cabeça,seguimos a sã doutrina,e o espirito santo habita em nós,o que pra voces é descer fgo do céu,pra nós é só uma marolinha,nós da ccb vemos deus de verdade nos guiar
seguimo a sã doutrina,e estamos ligados na videira através do espirito santos,somos selados e batizados por ele,somos originais,não copiamos ninguem,somos crente,mas infelizmente de nada adianta querer lançar jóias aos porcos mesmos,por que essa graça não é pra quem quer sim pra quem deus usa de misericórdia,ou seja só entenderá se forem escolhidos!!!
oro a deus pra que retire as vendas de seus olhos.
GRAÇA MARAVILHOSA DE CRISTO O REDENTOR,NÃO HÁ EM MIM PALAVRAS PARA A DESCREVER…
CONGREGAÇÃO DOS JUSTOS LOUVAI AO DEUS VIVENTE…
OS PECADORES NÃO PERMANECERAM NA CONGREGAÇÃO DOS JUSTOS!!!

DESEJO SER Ó MEU SENHOR FIEL A TI ATÉ O FIM,MEUS PASSOS GUIA EM TEU AMOR,SENHOR ÉS TUDO PARA MIM.
PAZ DE DEUS

13 11 2010
Ainda sobre o batismo « PÍLULAS CRISTÃS

[...] para cuidar desse espaço, isso é muito bom. Em textos que recebo muitas visitas (aqui, aqui, aqui, aqui e aqui), muitos comentários aparecem (e devo isso, sinceramente, aos links no blog do [...]

19 03 2011
kélita

Muito boa sua critica, mais posso lhe fazer uma pergunta ?
Você algumas vez entrou dentro de uma Congregação ?
Desculpa a minha pergunta mais e uma curiosidade. Se sua pergunta for sim, coloque fale para nós os pontos positivos…

12 04 2011
Arthur Danillo

“Não te vingarás nem guardarás ira contra os filhos do teu povo; mas amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou o SENHOR.” (Levítico 19 : 18)

Será que estamos a cada dia fazendo isto, ou será que só pensamos em nós mesmos
irmãos sou pela graça de Jesus Cristo salvo e não por nomes de igrejas, ha não, não vai ser nome de igreja que vai me levar até a Deus e sim se eu for firme i fiél a ele nesta vida enfrenando uma luta contra a minha própria natureza sei que só Cristo Salva póis ele diz: “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” (João 14 : 6) tenho uma coisa para dizer para todos Atualmente me encontro na Assembleia pela misericórdia de Deus mas quando era pequeno vivia na CCB no dia 11, de Janeiro de 1999 Deus falou á meu Pai membro da CCB “Seus filhos farão parte desta Congregação” Amo a Assembleia e a CCB mas quem sou eu para que possa apagar ou reescrever as palavras de Deus, irmãos sejam sábios não usem de testemunhos sejam eles véridicos ou falsos contra alguma igreja peça a Deus sabedoria para seguir as veredas antigas em vez de estarem postando críticas, orem pór todos os filhos de Deus não fiquem com contenda para terem contenda vcs não podem ou não tendem serem filhos de Deus e sim apartados da palavra dele póis sabgem que Deus abomina á mentira, á ira e principalmente a Mentira póis quem mente é filho do? “Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira.” (João 8 : 44) irmão o evangelho é pregado em Paz sigam Cristo e se lembrem concreto, tijolos, massa, letreiros, bancas, pisos ficaram quem subirá ao mais alto Céu preparado para a “Igreja”(nós) somos nós póis nosso corpo é templo(igreja) de Jesus Cristo do seu Espírito A Paz de Senhor, A Paz de Deus preferem qual? “brincadeira” vamos combinar irmãos qual à DIFERENÇA heim? só a palavra mais continua sendo o mesmo Deus irmão pensem se estão seguindo a verdadeira palavra de Deus

“À universal assembleia e igreja dos primogênitos, que estão inscritos nos céus, e a Deus, o juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados;” (Hebreus 12 : 23) universal assembleia (Assembleia de Deus) igreja dos primogênitos (CCB) Deus ama todas as almas independentemente de nome de igreja!

E não se esqueçamos quando os cultos são abertos e encerrados são em nome de Quem? Do verdadeiro Pastor!

20 04 2011
jhb

concordo com o arthur,

aq respeito do dizimo
mas a palavra é clara não podemos pegar somente um versiculo e tirar um conclusão, a respeito de malaquias 3:10 traga dizimos a casa do tesouro.. resumindo…

seguem abaixo um estudo sobre todas as passegens do dizimo na biblia, e o entendimento… acredito que vai além de um versiculo…

Tragam Seus Dízimos e Recebam as Bênçãos de Deus:
É Esta, Hoje em Dia, a Vontade de Deus?
As pessoas religiosas, hoje em dia, ouvem muita coisa a respeito do dízimo. Os pregadores, freqüentemente, citam Malaquias 3:10 para encher os cofres de suas igrejas. Nesta passagem, o profeta de Deus disse:

“Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e provai-me nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós bênção sem medida.”

Que texto de pregação poderoso! Mandamento de Deus. Obrigação clara. Teste de fidelidade. Garantia de bênção. Não é surpresa que esta seja uma passagem favorita de muitos pregadores modernos.

Mas estariam estes pregadores tratando corretamente a palavra de Deus (veja 2 Timóteo 2:15)? Deus exige nossos dízimos hoje em dia? Ele está prometendo bênçãos materiais abundantes em retribuição? Examinemos estas questões de acordo com a Bíblia para determinar o que Deus realmente quer (veja Atos 17:11).

Deus exige nossos dízimos, hoje em dia?
Não há dúvida que Deus exigiu o dízimo na Bíblia. Mas, para entender sua vontade para os dias de hoje, precisamos examinar as passagens que discutem o dízimo. Pesquisemos brevemente o ensinamento bíblico sobre este assunto.

O dízimo antes da lei de Moisés
Antes que Deus revelasse uma lei escrita a Moisés, para governar os descendentes de Israel, encontramos duas ocasiões quando homens deram ou prometeram dízimos a Deus. Depois do resgate de pessoas e de bens que tinham sido tomados de Sodoma numa guerra, Abraão deu um dízimo a Melquisedeque, o sacerdote de Deus (Gênesis 14:18-20). Mais tarde, Jacó (o neto de Abraão) prometeu devolver a Deus 10% de sua prosperidade (Gênesis 28:22). Estes dízimos parecem ter sido voluntários. Não há registro de qualquer mandamento de Deus a respeito do dízimo antes do tempo de Moisés. Certamente, o dízimo de Abraão não é mais um padrão para hoje na mesma forma que o exemplo de Noé não exige que nós construirmos uma arca hoje em dia. Pela mesma razão que pregadores hoje em dia não têm o direito de exigir que você construa um grande barco, eles não têm base para usar os exemplos de doações de dízimo do livro de Gênesis para exigir que você dê 10% de sua renda a uma igreja.

O dízimo na lei de Moisés
É indiscutivelmente claro que Deus ordenou o dízimo na lei que ele deu através de Moisés. Muitas passagens mostram essa exigência (por exemplo, Levítico 27:30-33; Números 18:21-32; Deuteronômio 12:1-19; 26:12-15). O dízimo era uma característica da relação especial entre Deus e o povo escolhido de Israel (Deuteronômio 14:22-29). Nenhum estudante da Bíblia pode negar a necessidade do dízimo, sob a lei de Moisés.

Sempre que as pessoas se referem à lei de Moisés, é importante lembrar que Deus deu essa lei aos israelitas, descendentes de Abraão especialmente escolhidos. A manutenção dessa lei era necessária para mostrar que eles eram um povo separado, escolhido (Êxodo 19:1-6; Deuteronômio 26:16- 19). Estes mandamentos a respeito do dízimo foram parte “da lei de Moisés, que o Senhor tinha prescrito a Israel” (Neemias 8:1).

Malaquias viveu no mesmo tempo que Neemias. Ele era um judeu que pregava aos judeus (Malaquias 1:1). Ele viveu sob a lei de Moisés e encorajou outros israelitas a serem obedientes a essa lei (Malaquias 2:4-8, 10; 4:4). Ele usou pensamentos dessa lei para prever as responsabilidades e bênçãos espirituais, ainda por vir, através de um descendente de Abraão, mas não impôs sobre todas as pessoas de todos os tempos a obrigação de dar o dízimo. Qualquer esforço para voltar à lei de Moisés, hoje em dia, é um esforço para reconstruir o muro de separação que Jesus morreu para destruir (Efésios 2:11-16). Certamente, os verdadeiros seguidores de Jesus não quererão anular seu sacrifício só para acumular dinheiro no tesouro de uma igreja!

O dízimo no Novo Testamento
Todas as pessoas agora vivem sob a autoridade de Cristo, como foi revelada no Novo Testamento (Mateus 28:18-20; João 12:48; Atos 17:30- 31). Sua vontade entrou em vigor depois de sua morte (Hebreus 9:16-28). Estes fatos nos ajudarão a entender as passagens do Novo Testamento, a respeito do dízimo.

Durante sua vida, Jesus reconheceu a autoridade da lei de Moisés. Ele era um judeu, nascido sob a lei (Gálatas 4:4) e com a missão de cumprir essa lei (Mateus 5:17-18). Jesus criticou os judeus hipócritas, que negligenciavam outros mandamentos divinos, enquanto zelosamente aplicavam a lei do dízimo (Mateus 23:23; Lucas 11:42; 18:9-14). Jesus não ensinou que a lei do dízimo seria uma parte de sua nova aliança, que entraria em vigor após sua morte.

O livro de Hebreus fala do dízimo, para mostrar a superioridade do sacerdócio de Jesus, quando comparado com o sacerdócio levítico da Velha Lei (Hebreus 7:1-10). Esta passagem não está ordenando o dízimo para hoje em dia. De fato, o mesmo capítulo afirma claramente que Jesus mudou ou revogou a lei de Moisés (Hebreus 7:11-19). O dízimo não é ordenado na lei de Cristo, que é o Novo Testamento.

Que lei se aplica hoje?
Não vivemos sob a lei de Moisés, hoje em dia. Jesus aboliu essa lei por sua morte (Efésios 2:14-15). Estamos mortos para essa lei para que possamos estar vivos para Cristo (Romanos 7:4-7). A lei gravada nas pedras, no Monte Sinai, extinguiu-se e a nova aliança permanece (2 Coríntios 3:6-11). A lei funcionou como um tutor para trazer o povo a Cristo, mas não estamos mais sob esse tutor (Gálatas 3:22-25). Aqueles que desejam estar sob a lei estão abandonando a liberdade em Cristo e retornando à escravidão (Gálatas 4:21-31). As pessoas que voltam a essa lei estão decaindo da graça e se separando de Cristo (Gálatas 5:1-6). Não temos o direito de retornar a essa lei, para obrigar que guardem o sábado, a circuncisão, os sacrifícios de animais, as regras especiais sobre roupas, a pena de morte para os filhos rebeldes, o dízimo e qualquer outro mandamento da lei de Moisés.

Vivemos sob a autoridade de Cristo e temos que encontrar a autoridade religiosa na nova aliança que ele nos deu através de sua morte. Ele é o mediador desta nova aliança (Hebreus 9:15). Seremos julgados por suas palavras (João 12:48-50). Desde que Jesus tem toda a autoridade, temos a responsabilidade de obedecer tudo o que ele ordena (Mateus 28:18-20).

O que o Novo Testamento diz a respeito das dádivas?
Jesus, através de Paulo, ensina que as igrejas devem fazer coletas nas quais os cristãos darão de acordo com sua prosperidade (1 Coríntios 16:1- 2). Temos que dar com amor, generosidade e alegria, conforme tencionamos em nossos corações (2 Coríntios 8:1-12; 9:1-9). Portanto, podemos dar mais do que 10% ou menos do que 10%. Temos que usar nossos recursos financeiros, e todos os outros recursos, no serviço de Deus. Não somos mandados por Deus para darmos uma porcentagem especial.

E a respeito das bênçãos?
Malaquias pregou a uma nação carnal que estava sofrendo as conseqüências carnais do pecado. Ele prometeu bênçãos materiais de Deus para aqueles que se arrependessem de sua desobediência. Não encontramos esta importância material no Novo Testamento. Deus garante aos fiéis que eles não precisam se preocupar com as necessidades da vida (Mateus 6:25-33).

Mas o Novo Testamento não promete luxo, conforto e riquezas. Jesus sofreu nesta vida, e assim seus seguidores sofrerão (Marcos 10:29-30; Lucas 9:57-62). A preocupação com a prosperidade material nos distrai da meta celestial e nos arrasta à idolatria da cobiça (Colossenses 3:1-5). Tais motivos não têm nenhum lugar entre os cidadãos do reino de Deus.

Destorcendo Malaquias 3:10
Aqueles que citam Malaquias 3:10 para exigir o dízimo, e prometem prosperidade material, estão destorcendo a palavra de Deus. Eles estão enchendo os tesouros das igrejas ao desviarem a atenção de seus seguidores das coisas espirituais para darem atenção às posses materiais. Pedro advertiu sobre tais mestres: “Também, movidos pela avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias; para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme” (2 Pedro 2:3).

Mirando a meta celestial
Deus oferece uma coisa muito melhor aos seus seguidores: um prêmio eterno no céu. Paulo nos desafia a mirar essa meta: “Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as cousas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus. Pensai nas cousas lá do alto, mas não nas que são da terra” (Colossenses 3:1-2).

“DÍZIMO, a maldição da LEI na GRAÇA”.

“(Romanos 3:5) – E, se a nossa injustiça for causa da justiça de Deus, que diremos? Porventura será Deus injusto, trazendo ira sobre nós?” (Falo como homem).

Observação: Porque o justo está mendigando o pão, o justo está enfermo, o justo está oprimido, Deus pode mentir?

Confira: “(Salmos 37:25) – Fui moço, e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo, nem a sua semente a mendigar o pão”.

“Lucas 11.52 – Ai de vós doutores da lei, que tirastes a chave da ciência! Vós mesmos não entrastes e impedistes os que entravam”.

“1ª João 2.21… Porque nenhuma mentira vem da verdade”.

“Tu, pois, que ensinas a outro, não te ensinas a ti mesmo?” (Romanos 2.21).

INTRODUÇÃO: Há dois concertos no evangelho, a lei dada por Moisés e a graça trazida por Jesus, a primeira (a lei) imposta por Deus aos pecadores injustos e que foi abolida por Cristo, a segunda (a graça) dada gratuitamente aos homens que aceitaram a justiça de Deus somente pela fé em Jesus Cristo. “Uma não pode conviver com a outra senão quebra o concerto e anula as promessas que é somente pela fé”. “Examinai-vos a vós mesmos, se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não sabeis quanto a vós mesmos, que Jesus Cristo está em vós? Se não é que já estais reprovados” (2 Corintios 13.5).

Observação: A justiça do homem e a de Deus – “E seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus, pela fé” “Filipenses 3.9 – a justiça de Deus não é pela lei e sim somente pela fé”.

“Não aniquilo a graça de Deus; porque, se a justiça provém da lei segue-se que Cristo morreu debalde (em vão) (Galatas 2.21) – A lei anula o sacrifício de Cristo”.

“Mas agora se manifestou, sem a lei a justiça de Deus,… isto é, a justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo” (Romanos 3.21,22).

“Porque o fim da lei é Cristo para a justiça de todo aquele que crê” (Romanos 10.4).

I-) Jesus tirou toda a lei: “Porque o precedente mandamento é ab-rogado (anulado) por causa da sua fraqueza e inutilidade” (Hebreus 7.18).

“Na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças…” (Efésios 2.15) – os mandamentos eram inimizade de Deus contra Israel, pois não temiam a Deus; Abraão não viveu debaixo de mandamentos, pois, eles (os mandamentos) foram impostos mil anos depois dele.

“Havendo riscado a cédula que era contra nós, nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira era contraria, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz” (Colossenses 2.14).

Observação: Ordenança = Lei, ordem, obrigação.

“Mas os seus sentidos foram endurecidos; porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do velho testamento, o qual foi por Cristo abolido”. (2 Corintios 3.14) – veja, Jesus tirou os mandamentos, e não há contradição quando diz: “Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim ab-rogar (tirar), mas cumprir” (Mateus 5.17).

– Jesus falava dEle, pois cumpriu toda a lei por nós, é impossível cumpri-la, são mais de 600 (seiscentas) leis, só Deus pôde cumpri-las.

Observação: Quem usa a lei entra em maldição, pois chama Deus de mentiroso, pois ele afirmou que é impossível para o homem cumpri-la, veja: “Todos aqueles pois que são das obras da lei estão debaixo da maldição, porque escrito está: maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las (Galatas 3.10). “…conforme a mais severa seita da nossa religião vivi fariseu” (Atos 26.5). – Os judeus viveram e vivem dentro de uma seita e na lei, é maldição.

Observação: Usar qualquer lei é maldição, pois Cristo veio para cumprir toda a lei que para o homem era impossível. Se usar uma tem que cumprir as mais de 600 leis existentes no Antigo Testamento, vejamos:

“Eis que eu, Paulo, vos digo, se vos deixardes circuncidar, Cristo de nada vos aproveitará e, de novo, protesto a todo homem que se deixa circuncidar que está obrigado a guardar toda a lei” (Galatas 5.2,3).

“Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da Graça tendes caído” (Gálatas 5.4).

“Porque qualquer que guardar toda a lei e tropeçar em um só ponto tornou-se culpado de todos” (Tiago 2.10).

Observação: Ao usar a lei o homem nega a Cristo, pois, ele veio para tirá-la, chama Deus de mentiroso, pois Ele afirmou que é impossível para o homem cumpri-la, quebra o concerto que é somente pela fé em Jesus Cristo, sem as obras da lei. Hoje a igreja-denominacional está levando a crença em Cristo a maldição, pois usa a lei do dízimo (lei cerimonial), o dízimo era entregue ao sacerdote para o seu alimento e sustento dos sacrifícios, se justificavam nele, Cristo fez o último sacrifício nos justificando. A obra de Deus é crer que estamos justificados pela fé naquele em que Deus enviou.

“Sabendo isto: que a lei não é feita para o justo, mas para os injustos…” (I Timóteo 1.9).

“Porque, se a herança provém da lei, já não provém da promessa; mas Deus, pela promessa, a deu gratuitamente a Abraão” (Gálatas 3.18).

“Pois, se os que são da lei são herdeiros, logo a fé é vã e a promessa é aniquilada” (Romanos 4.14). – Esses dois versículos acima afirmam que se pudesse usar a lei para alcançar as promessas e a justificação, seria inútil a vinda de Cristo. Este é o motivo da pobreza, das doenças, e das maldições nos crentes, pois estão fora do descanso de Deus, isto é, fora da Graça.

Observação: O Pentateuco são os cinco livros do judeu, onde se encontram as leis de Moisés impostas por causa do pecado que não se pode usar na Graça, são eles: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números, e Deuteronômio, vejam bem, são as leis e os mandamentos que não se pode usar, e não o conhecimento contido neles.

I-) O Dízimo: Está nos cinco livros da lei de Moisés, portanto é lei! Dizer que o dízimo usado por Abraão (que ainda era pecador) não é da lei, é um engano ou astúcia, pois o pecado já existia e a lei veio por causa dele (o pecado de Adão). A lei veio apontar o pecado, veja:

“Eis que em iniqüidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe” (Salmos 51.5).

Dizimar – Lançar imposto de dízima sobre; desfalcar, diminuir, arruinar – Dicionário Silveira Bueno.

No tempo antigo, as nações que eram dominadas por seus inimigos ficavam sob imposto, as dízimas se refere à obrigação que não pode ser quebrada, um jugo referente à escravidão. Os Assírios colocavam as nações dominadas sob imposto e as que não cumpriam passavam esse país a fogo e a sangue.

Jesus afirma em (Mateus 17.24-26) que os que pagam imposto não são filhos, veja:

“… que te parece Simão? De quem cobram os reis da terra os tributos ou os impostos? Dos seus filhos ou dos alheios? Disse-lhe Pedro: dos alheios. Disse-lhe Jesus: Logo, estão livres os filhos”. (veja que os mandamentos foram dados a Moisés para que o povo temesse a Deus e por causa do pecado eram inimigos de Deus, por isso ficaram sob imposto, não eram filhos).

Observação: A maioria dos teólogos contradiz as Escrituras Sagradas, uns por ignorância da palavra de Deus, outros por astúcia, tendo o pretexto maligno de usar injustamente o dízimo (da lei cerimonial) que era obrigação para os judeus colocando-o indevidamente na graça quebrando o concerto, pois a obra do Senhor é voluntária, mudando a verdade de Deus em mentira, como se o dízimo não estivesse na lei, mas Jesus tirou toda a lei rasgando a cédula do velho testamento, escrevendo-a nas tábuas do nosso coração.

“Porque este é o concerto que, depois daqueles dias, farei com a casa de Israel, diz o Senhor: porei as minhas leis no seu entendimento e em seu coração as escrevereis; e Eu lhes serei por Deus, e eles me serão por povo” (Hebreus 8.10).

“Então, disse: Eis aqui venho, para fazer, ó Deus, a tua vontade. Tira o primeiro (a lei), para estabelecer o segundo (a Graça)” (Hebreus 10.9).

“Dando nisso a entender o Espírito Santo que ainda o caminho do santuário não estava descoberto, enquanto se conservava em pé o primeiro tabernáculo (concerto) (Hebreus 9.8) – Veja que se usar a lei nega-se a crucificação e a ressurreição de Cristo, a lei diz: Pague, a Graça diz: Está Tudo Pago! (João 19:28-29; Colossenses 1:9 a 14; Hebreus 5:1 a 10:39).

A Lei Cerimonial Regulamentava Toda a Prática do Culto e da Adoração (Levítico 16)

DIREITOS DOS LEVITAS E DOS SACERDOTES:

(Deuteronômio 18: (1) – “OS sacerdotes levitas, toda a tribo de Levi, não terão parte nem herança com Israel; das ofertas queimadas do SENHOR e da sua herança comerão. (2) – Por isso não terão herança no meio de seus irmãos; o SENHOR é a sua herança, como lhes tem dito. (3) – Este, pois, será o direito dos sacerdotes, a receber do povo, dos que oferecerem sacrifício, seja boi ou gado miúdo; que darão ao sacerdote a espádua e as queixadas e o bucho. (4) – Dar-lhe-ás as primícias do teu grão, do teu mosto e do teu azeite, e as primícias da tosquia das tuas ovelhas. (5) – Porque o SENHOR teu Deus o escolheu de todas as tuas tribos, para que assista e sirva no nome do SENHOR, ele e seus filhos, todos os dias. (6) – E, quando chegar um levita de alguma das tuas portas, de todo o Israel, onde habitar; e vier com todo o desejo da sua alma ao lugar que o SENHOR escolheu; (7) – E servir no nome do SENHOR seu Deus, como também todos os seus irmãos, os levitas, que assistem ali perante o SENHOR, (8) – Igual porção comerão, além das vendas do seu patrimônio”.

Dízimo na lei: (Deuteronômio 26.12) “Quando acabares de dizimar todos os dízimos da tua novidade, no ano terceiro…” – Veja que os judeus guardavam anos e o apóstolo Paulo condenou isto: “Guardais dias, e meses, e tempos, e anos. Receio de vós que haja eu trabalhado em vão para convosco” (Gálatas 4.10,11). Em Deuteronômio 26.13… Conforme todos os teus mandamentos… (foi abolido por Cristo).

Em Deuteronômio 14.22, 23, 29, o dízimo recolhido na lei a cada ano para ser levado de 3 em 3 anos, era mandamento, uma ordem para que eles aprendessem a temer ao Senhor, veja, estavam sendo ensinados, corrigidos, era um castigo, veja:

“Certamente darás os dízimos… que a cada ano recolher do campo”… “Para que aprendas a temer ao Senhor”. – Os vejamos não temiam a Deus, era uma correção, um castigo.

Em Números 18.9, fala dos deveres e direitos dos sacerdotes e levitas da lei e estão incluídos os dízimos e primícias para a administração da tenda da congregação da lei e era estatuto perpétuo enquanto a lei não fosse desfeita com a crucificação de Cristo, veja: Números 8.9, fala com os sacerdotes e levitas: “… elas serão coisas santíssimas para ti (dízimos e primícias)…”; “Toda coisa consagrada em Israel será tua” (Números 14:18) … “Na sua terra possessão nenhuma terás” (Números 18:20; Ezequiel 44:29-30).

Veja tudo na lei cerimonial.

O dízimo era costume humano: Quando os israelitas pediram rei e príncipes no lugar de serem guiados por Deus, o Senhor os advertiu que seriam tratados como bastardos, e não como filhos, vejamos: (1 Samuel 8.1-18) “… declara-lhe qual será o costume do rei que houver de reinar sobre ele (sobre o povo)… e as vossas sementes e as vossas vinhas dizimará… Então, naquele dia, clamareis por causa do vosso rei, mas o Senhor não vos ouvirá naquele dia”.

Observação: A lei e os mandamentos vieram por causa das transgressões, ofensas e incredulidade, Deus colocou o dízimo para tratar os judeus como um povo que não era seu, era um castigo que eles não obedeceram.

“Não vos deu Moisés a lei? E nenhum de vós observa a lei…” (João 7.19).

“… como não permaneceram naquele meu concerto, eu para eles não atentei, diz o Senhor” (Hebreus 8.9).

Sobre Abraão: Abraão quando foi justificado pela fé nunca mais dizimou, mudou de nome, sendo chamado de Abraão, nascendo de novo; Em Hebreus 7.5 o pregador afirma que o dízimo era tomado segundo a lei e não segundo a Graça, e na parte “b” ele isenta Abraão de fazer o mesmo que os filhos de Levi que iam viver em pecado na lei.

“E os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio tem ordem segundo a lei, de tomar o dízimo do povo, isto é, de seus irmãos, ainda que tenham descendido de Abraão” (Hebreus 7.5).

Observação: Veja que a palavra “ainda” é de separação de não fazer o mesmo que os pecadores da lei. Em (Romanos 4.1-5), Paulo afirma que Abraão não era justo quando dizimou: “Porque, se Abraão foi justificado pelas obras, tem que se gloriar, mas não diante de Deus” – “E aqui certamente tomam dízimos homens que morrem (pecadores)” (Hebreus 7.8) – “Ora, Deus não é Deus dos mortos, mas sim é Deus de vivos, por isso vós errais muito” (Marcos 12.27).

Sobre Malaquias: Um profeta da lei, uma pregação estranha à graça, feita á 500 anos a.C. na saída do povo judeu de Babilônia e dirigida escatologicamente aos sacerdotes da lei que roubavam a Deus, eram fracos, mortais e estavam debaixo do pecado; hoje o nosso sacerdote é Cristo, imortal no céu, não pode roubar a Ele mesmo e não profetizou a si mesmo, essa pregação não cabe na graça, é uma mentira do diabo na igreja que nega a Cristo, transformando-o em sacerdote de pecado. Em Malaquias 3.6, o Senhor fala com Jacó que na Bíblia representa os judeus e não os crentes, e falava do dízimo.

“Pois, se nós, que procuramos ser justificados em Cristo, nós mesmos também somos achados pecadores, é, porventura, Cristo ministro do pecado? De maneira nenhuma. Porque, se torno a edificar aquilo que destruí, constituo-me a mim mesmo transgressor. Porque eu, pela lei, estou morto para a lei, para viver para Deus” (Gálatas 2.17-19).

Deus critica os judeus por dizimar e sacrificar: Era coisa humana, pecado por falta de fé e não era vontade de Deus, essas coisas O desagradavam:

“Vinde á Betel e transgredi; á Gilgal, e multiplicai as transgressões; e cada manhã, trazei os vossos sacrifícios e, de três em três dias os vossos dízimos…” (Amós 4.4).

“Por isso, também vos dei limpeza de dentes em todas as vossas cidades e falta de pão em todos os vossos lugares, contudo, não vos convertestes a Mim, disse o Senhor” (Amós 4.6).

“Porque nunca falei a vossos pais, no dia em vos tirei da terra do Egito, nem lhes ordenei coisa alguma a cerca de holocaustos e sacrifícios” (Jeremias 7.22) – “Porque disso gostais, ó filhos de Israel…” (Amós 4.5).

Pregações malignas na Graça:

Eles dizem: – O dízimo é bíblico! Mas bíblico é tudo o que está na Bíblia. O sábado e o sacrifício são também bíblicos, só que, na lei e não na Graça assim como o dízimo também, por ser da lei é uma maldição.

Eles dizem: Em (Mateus 23:23) – Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas.

Jesus apoiou o dízimo. – Mas na verdade Jesus exortava aos judeus, porque ainda estavam no tempo da lei, assim como, Jesus mesmo estava e não cumpriam a lei, veja:

“Mas, vindo à plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei” (Gálatas 4.4).

Eles dizem: – O dízimo é santo! Mas o dízimo era santo na lei cerimonial porque era consagrado a Deus para o sacrifício e só podia ser usado dentro do tabernáculo da lei e não podia ser usado fora do templo como hoje se usa indevidamente negando a Cristo, isto não é a obra de Deus na Graça! (Hebreus 13:9 a 16).

Eles dizem: – Porque mais bem aventurado é dar do que receber! Mas isto foi ensinado aos apóstolos e não para as ovelhas, Paulo dizia aí: “De ninguém cobicei a prata, nem o ouro, nem a veste” (Atos 20:31-35).

Eles dizem: – Fazei prova com Deus! – Mas Deus disse: “Fazei prova de Mim,” “INCRÉDULOS!” Sabe por quê?

“Pede-me, e Eu te darei as nações por herança e os confins da terra por tua possessão” (Salmos 2.8).

“Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis TUDO o que quiserdes, e vos será feito” (João 15.7) – Ser fiel é obedecer ao concerto vigente, somente pela fé em Cristo sem a lei * (1 Samuel 15:22) – Porém Samuel disse: “Tem porventura o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à palavra do SENHOR? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros”.

Observação: Toda religião ou seita usa a Bíblia por causa de Malaquias para tirar dízimo do povo, só que isto anula o sacrifício de Cristo e torna o homem infiel, pois Malaquias não é da graça e Jesus nunca falou sobre ele, esqueceu?

Conclusão: A visão da igreja hoje é triste e desoladora, reunir multidões oprimidas (que nunca se libertam) pobre, sem fé, doente, dando testemunhos falsos, com ministérios divididos, com profecias falsas, mentirosas, no espiritismo, na carne como as outras religiões de nada há de proveito para o povo, usar a lei na Graça é negar a salvação, usar prosélitos como: Copo de água, fogueira santa, voto, corrente, campanhas, primícias que Jesus condenou é negar a vinda do Consolador que diz: “E tudo o que pedirdes na oração, crendo o recebereis; Até agora, nada pediste em Meu nome; pedi e recebereis, para que a vossa alegria se cumpra” (Mateus 21.22; João16:24). – O sangue dos desviados que morreram por isso tudo está nas mãos desses doutores da lei. – “… se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo” (Gálatas 1.10 b) “… honraram e serviram mais a criatura do que o Criador…” (Romanos 1.25) – “Maldito aquele que fizer a obra do Senhor fraudulentamente” (Jeremias 48.10) “… pela lei vem o conhecimento do pecado” (Romanos 3:(20) – Por isso nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque PELA LEI VEM o conhecimento do pecado.

– Ao conhecer a verdade não há mais desculpa nos tornamos transgressores ao desobedecer aos ensinos do Senhor Jesus, é levar o Seu sacrifício ao vitupério (Hebreus 6:6).

(à ignomínia, O autor sagrado lembra aqui a dor e o tratamento rude e ignominioso que Jesus sofreu, quando foi sujeitado às crueldades de homens ímpios e desvairado).

(Romanos 15:1 a 13); (Efésios 5:1 a 17); (Hebreus 5:11 a 6:20).

4 01 2013
Eliseu Batista

JJB,

Como varios outros que conheco, vejo que vc le bastante a Biblia, pelo fato de que cita varios capitulos e versos da mesma. No entanto, sua interpretacao, como a da maioria dos cristaos, e’ totalmente falha em relacao aos fatos dos mandamentos de Deus `a Moises e aos profetas,
as quais vieram `a ser ensinadas por Jesus durante os seus 3 anos de ministerio.

Nao se esqueca que no tempo de Jesus havia so’ o Velho Testamento, entao chamado de “Escripturas”. O Novo Testamento so’ veio a ser
elaborado quase dois seculos depois da morte de Jesus e so’ oficializado como hoje o conhecemos (pela igreja Catolica) por volta do ano 367 AD.
E foi no ano 380 AD que Theodosius, imperador romano, decretou o a igreja catolica como a religiao oficial do imperio.

Vc parece nao ter lido com atencao o que Jesus ensinou aos seus discipulos em Mathews 5:17-19. Vc apenas se apoia em suas interpretacoes quanto a abolicao da Lei Mosaica nas epistolas de Paulo, que contradizem em muito aquilo que Jesus e seus discipulos pregaram.

Em nenhuma parte dos 4 evangelhos voce achara’ qualquer comentario de Jesus no tocante a invalidez da Lei Mosaica, que na realidade nao
era outra senao leis ditadas `a Moises e `a Abraao por Deus, quando Ele escolheu os judeus como “seu povo escolhido”.

Jesus foi nada mais que um tipico judeu no tocante `a Lei Mosaica. Ele
foi circuncidado no oitavo dia como qualquer outro judeu (bem como
todos os seus discipulos); Ele nao perdia um unico Sabbath (sabado)
fora do Templo em Jerusalem ou nas sinagogas de suas cidades,
Nazare’ e Cafernaum. No Templo ou nas sinagogas Jesus tanto ouvia a leitura das Escripturas (Velho Testamento), como Ele as ensinava (durante a sua vida so’ existia o “velho testamento”).

E em nenhuma parte dos 4 evangelhos ele faz qualquer alusao de ter vindo `a Terra para abolir as leis de Moises ou dos profetas. Ao contrario, veja o que Jesus diz bastante claro aos seus discipulos:

Mathew 5:17-20:

“Nao julgueis que vim para abolir a lei (de Moises) ou as Escripturas dos profetas. Nao vim para aboli-las, mas sim para leva-las `a perfeicao. Pois em verdade vos digo, passara’ o ceu e a terra, antes que desapareca
um jota, um trasso** (siquer) da Lei. Aquele que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, sera’ declarado o menor no Reino dos Ceus. Mas aquele que os guardar e os ensinar, sera’ considerado grande no Reino dos Ceus.”

**Meu computador nao tem cecedilha, dai ‘trasso’ ao inves de ‘traco’.

Paulo nunca conheceu Jesus pessoalmente. Ele se converteu aproxidamente 3 anos depois da morte de Jesus. Embora a igreja
Catolica continue a insistir que Pedro foi o primeiro papa da igreja
cristan, na realidade foi Paulo o fundador do cristianismo. Foi durante a sua permanencia em Antioch (hoje parte da Turquia) que ele veio a chamar Jesus de “Cristo” pela primeira vez (palavra grega que significa “ungido” ou “messias”) . Ate’ entao Jesus era conhecido como o “Caminho” (The Way) das ‘boas novas’ (da salvacao). Paulo, bem versado em linguas e nas Escripturas, bem como um grande comunicador, introduziu ‘Cristo’ ao nome de Jesus, usando o termo
Jesus Cristo, como se o adjetivo Cristo fosse o seu sobrenome, erroneamente usado pelos cristaos mundo afora ate’ os dias de hoje
como tal.

Paulo, em suas epistolas e’ quem disse que a Lei Mosaica havia sido abolida com a morte de Jesus na cruz. Como vc pode ler em Mathew 5:17 acima, Jesus disse o oposto e de forma bastante clara. E em Lucas
Ele foi ainda mais categorico quanto a validez da Lei de Moises e os ensinamentos dos profetas ao dizer:

Lucas 16:16-17: “Ate’ Joao Baptista a Lei de Moses e as mensagens dos profetas serviram como guia. Mas agora as “Boas Novas” do reino de Deus e’ pregado e todos estao ansiosos para ai entrar. Mas isso nao significa que aquelas leis perderam sua forca. E’ mais facil para os Ceus e a Terra passarem do que se perder uma so’ letra das Leis de Deus.”

Jesus nao poderia ser mais claro que isso! E como nos somos testemunhas, nem a Terra nem os Ceus do tempo de Jesus desapareceram ate’ hoje. Portanto, segundo as proprias palavras de Jesus, as leis Mosaicas deveriam ser valida ate’ os nossos dias, ou melhor, ate’ que os ceus e a terra desaparecam.

Paulo, de sua propria cabeca e arrogancia, afirmava que a lei fora
abolida com a morte de Jesus na cruz, uma afirmacao totalmente
erronea e falsa, como se le acima. E Paulo acusa os judeus pela circuncisao (ele tambem foi circuncidado), embora ele soubesse muito bem que Jesus e seus discipulos foram todos circuncidados. E Jesus nunca disse uma palavra siquer contra a circuncisao em todo o seu ministerio. Se Ele assim o fizesse estaria indo contra as leis ditadas por seu proprio Pai. Isso nao seria possivel, pois Jesus veio ao mundo enviado por seu Pae pra pregar e afirmar Seus mandamentos e nao
para altera-los.

E veja como Joao se expressa totalmente contra as pregacoes e interpretacoes de Paulo :

Joao 10:35: “E voces sabem que as Escripturas nao podem ser alteradas”.

E “Escripturas do tempo de Jesus e de Paulo era apenas o que hoje chamamos de ‘Velho Testamento’.

E veja a arrogancia de Paulo ao Galatas, quando diz:

Gal. 2:18: Ao contrario, eu sou um pecador se eu revalido o velho
sistema que eu aboli.”

Quem era Paulo para ‘abolir’ uma lei que veio de Deus, se nem Jesus,
seu filho, o fez?

Mark 10:19-20; Mathew 19:17-20; Luke 18:19: Todos eles atestam:“Se voce quer receber a vida eterna, obedeca os Mandamentos” – uma referencia aos mandamentos ditados `a Moises.

Circuncisao, o uso do veu pelas mulheres, a proibicao das mulheres de abrirem a boca para ensinar ou profetizar na igreja foram todos mandamentos de Paulo e nao de Jesus. Paulo pregava o “nome de Jesus” e o sobrenatural de Jesus, mas nunca os ensinamentos deixados
por Jesus aos seus discipulos. Por isso eu digo que o cristianismo foi
uma criacao de Paulo, nao de Jesus nem de Pedro.

Alias, Pedro, um pescador analfabeto, nunca esteve em Roma como alega a igreja Catolica. Paulo sim, esteve em Roma e as suas epistolas
aos romanos atestam isso. Veja se vc ve uma unica palavra de Paulo ou de Pedro insinuando que Pedro esteve em Roma. E em todas as
epistolas de Paulo ele faz questao de mencionar todos os que estiveram com ele em Roma ou qualquer outra cidade em que ele pregou, visitou
ou morou. O mesmo o fazia Pedro.

E veja o Tiago diz em seu livro [Tiago era irmao carnal de Jesus e cabeca da Igreja de Jerusalem (nao Pedro)]. Tiago, no capitulo 2:14-24, pregou exatamente o contrario de Paulo. Paulo pregava que uma pessoa era salva pela fe’, nao por suas obras. Bastava “ter fe’ de que Jesus morreu na cruz e ressuscitou no terceiro dia” para ser aceito como cristao, independente de suas obras. Tiago pregava incisivamente que ‘fe’ sem obras’ era o mesmo que ‘nada’.

Paulo sempre foi contraverso aos discipulos e tremendamente arrogante de sua importancia. Sendo mais letrado que qualquer um deles e com
isso muito mais persuasivo, Paulo conseguiu convencer as pessoas
mais que os 12 discipulos originais, convenvendo-os com as suas interpretacoes das “Escripturas” e de sua auto-afirmacao de que Jesus
lhe falara isto ou aquilo.

Arrogantemente se intitulava “um mensageiro especial de Jesus Cristo para os gentios” (Romanos 13:8-9). E em 2 Corithians 11:5 ele ironizava os 12 discipulos, ao se referir `a eles como “os chamados super-apostolos”.

2 Corithians 11:5: “Mas penso que em nada tenho sido inferior `aqueles “super-apostolos”.

E mais a frente, ainda falando sobre os 12 discipulos, ele pergunta:

2 Corinthians 11:23: “Sao eles ministros de Cristo? Posso parecer um insensato, mas eu sou ainda mais (que eles).”

Gal. 1:17: “Nem eu fui `a Jerusalem para consultar com os apostolos que vieram antes de mim”.

Gal. 2:11: “Mas quando Pedro veio ` Anthioch, censurei-o abertamente frente aos outros, porque ele agiu erradamente ao nao sentar-se com os gentios.”

Paulo era um judeu com direito `a cidadania romana gracas ao seu pai (tambem judeu), o qual deve ter feito algum grande favor que agradou aos lideres romanos, que o agraciaram com a cidadania romana como uma recompensa especial. Dai Saulo (mais tarde conhecido como Paulo), um judeu por nascimento, ter herdado a cidadania romana. E ele falava o aramaico, o grego e a lingua falada em Roma.

Sendo um pescador iletrado de uma pequena aldeia da Galileia (assim
diz a Biblia), e’ normal assumir-se que Pedro so’ falava a lingua aramaica. comum de sua epoca em Israel. Portanto, o que ele iria fazer em Roma? Pregar em aramaico, lingua so’ conhecida em Israel e nos paises arabes vizinhos?

Paulo deve ter tido serios problemas durante a sua circuncisao, possivel-
mente incapacitando-o pra sempre para uma relacao sexual, razao porque
ele prega em todas as suas 13 epistolas contra a circuncisao e desacon- selha `a todos que nao se casem, usando-o como exemplo. Nem Jesus, nem um unico de seus discipulos pregaram qualquer palavra contra a circuncisao ou contra o casamento (Pedro era casado). Isso foi uma doutrina pregada por Paulo, sem qualquer fundamento nos ensinamentos de Jesus durante toda a sua permanencia na Terra.

JJB,

Nao sei qual a sua religiao, porem insisto que vc leia a Biblia com mais atencao antes de se firmar em escritas de Paulo ou pregacoes de outras religioes, que na sua ignorancia ou desconhecimento real da Biblia, pregam contra os ensinamentos de Jesus e das leis de Deus ditadas to Moises e mais tarde aos seus profetas.

JJB,

Como entrei neste campo do Google por acaso, nao sei se virei a encontrar este artigo uma outra vez. Portanto deixo-lhe o meu email para uma resposta aos meus comentarios, caso vc queira retruca-los.

Abracos,

Eliseu (meu email is: alm305@aol.com).

Mark 10:19-20; Mathew 19:17-20; Luke 18:19: They all say:“If you want to receive eternal life, keep the Commandments”.

20 04 2011
jhb

há e como é dito a igreja do véu,

vamos entender um pouco e não distorcer o motivo dele,,,,estudo feito sobre teologos, indiferente de denominações.

Se a resposta for sim, qual o tipo de véu?
Qual cor?
Transparente?
Mantilha? (pano fino)
Se a resposta for não, relate o motivo.
I Corintios 11
1 Sede meus imitadores, como também eu de Cristo.
2 E louvo-vos, irmãos, porque em tudo vos lembrais de mim, e retendes os preceitos como vo-los entreguei.
3 Mas quero que saibais que Cristo é a cabeça de todo o homem, e o homem a cabeça da mulher; e Deus a cabeça de Cristo.
4 Todo o homem que ora ou profetiza, tendo a cabeça coberta, desonra a sua própria cabeça.
5 Mas toda a mulher que ora ou profetiza com a cabeça descoberta, desonra a sua própria cabeça, porque é como se estivesse rapada.
6 Portanto, se a mulher não se cobre com véu, tosquie-se também. Mas, se para a mulher é coisa indecente tosquiar-se ou rapar-se, que ponha o véu.
7 O homem, pois, não deve cobrir a cabeça, porque é a imagem e glória de Deus, mas a mulher é a glória do homem.
8 Porque o homem não provém da mulher, mas a mulher do homem.
9 Porque também o homem não foi criado por causa da mulher, mas a mulher por causa do homem.
10 Portanto, a mulher deve ter sobre a cabeça sinal de poderio, por causa dos anjos.
11 Todavia, nem o homem é sem a mulher, nem a mulher sem o homem, no Senhor.
12 Porque, como a mulher provém do homem, assim também o homem provém da mulher, mas tudo vem de Deus.
13 Julgai entre vós mesmos: é decente que a mulher ore a Deus descoberta?
14 Ou não vos ensina a mesma natureza que é desonra para o homem ter cabelo crescido?
15 Mas ter a mulher cabelo crescido lhe é honroso, porque o cabelo lhe foi dado em lugar de véu.
16 Mas, se alguém quiser ser contencioso, nós não temos tal costume, nem as igrejas de Deus.

Lembrando sempre do primeiro capitulo de I Corintios em que o apostolo Paulo cita :
1 Paulo (chamado apóstolo de Jesus Cristo, pela vontade de Deus), e o irmão Sóstenes,
2 Å igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados santos, com todos os que em todo o lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso:
3 Graça e paz da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.
4 Sempre dou graças ao meu Deus por vós pela graça de Deus que vos foi dada em Jesus Cristo.
5 Porque em tudo fostes enriquecidos nele, em toda a palavra e em todo o conhecimento
6 (Como o testemunho de Cristo foi mesmo confirmado entre vós).

As opiniões que passarem de 30 linhas e forem satisfatórias serão remanejadas para a está página sendo removida da caixa de comentário.

———————————————————————————————–

O Pastor e Prof. José Américo Vitorino. Ex espírita kardecista por 12 anos e babalorixá (pai-de-santo) de Umbanda Omolokô, Nação Lunda-kioko, sudoeste de Angola por mais 10 anos. Tem a seguite visão:

Este tema, apesar de muito claro na Bíblia, acabou por se tornar polêmico, em face de uma exegese indevida, feita pela maioria dos líderes religiosos, a respeito dos 16 versículos que compõem este assunto, registrado no capítulo 11 da I Epístola do Apóstolo Paulo aos coríntios.

É preciso considerar, em primeiro lugar, que o capítulo 11 é composto de 16 versículos e todos importantes, portanto tem que haver harmonia entre eles e não contradição. Um versículo não pode contrariar os demais e nem pode ser descartado, nem excluído, porque, aparentemente, entra em contradição com os demais. Quando isso acontece, torna-se necessário uma exegese versículo a versículo, observando-se o contexto mediato e imediato do capítulo em pauta e de toda a Bíblia, a fim de se poder harmonizá-los.

A grande maioria das Igrejas Evangélicas, ao abordarem este assunto, desprezam os primeiros 14 versículos e prendem-se, exclusivamente, ao versículo de nº 15 que diz: ”Pois no caso da mulher é honroso, uma vez que a natureza lhe deu o cabelo em lugar de véu.” – Apoiados, apenas, neste versículo, a grande maioria das doutrinas rígidas, sobretudo, as pentecostais, ensinam que não há necessidade da mulher usar o véu na Igreja, porque a natureza já lhe deu o cabelo no lugar de véu.” Afirmam, ainda, que a mulher deve usar o cabelo comprido, porque além de ser honroso, é o véu que ela tem que apresentar na Igreja, como sinal de submissão. Fundamentados, ainda, neste versículo, acabam por determinar que as Igrejas, em que a mulher usa o véu e que pregam a necessidade de usá-lo são seitas e não estão comprometidas com o Evangelho de Cristo. Surge, então, as seguintes perguntas: E os outros 14 versículos o que foi feito com eles? Foram jogados fora? Eles não têm valor? São versículos descartáveis? Por acaso, a Palavra de Deus é formada de coisas inúteis?

Para desmistificar este assunto, é preciso fazer uma abordagem direta, descompromissada com “achismos” e com placas denominacionais, a fim de se buscar a compreensão, não só da necessidade, ou não, de se usar o véu, como também das razões que determinam, ou não tal necessidade. Não é aconselhável negligenciarmos com a Palavra de Deus, principalmente, quando ela própria diz: “Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente preparado para toda boa obra” (II Tm 3:16,17). Portanto, torna-se necessário uma exegese versículo a versículo deste capítulo para se chegar ao entendimento de cada um deles, e harmoniosamente relacioná-los, uns aos outros, para se chegar à conclusão final. Antes, porém, é preciso saber que o uso de véu, aqui referido, é na Igreja e não na sociedade. Eis, pois, os 16 versículos do capítulo 11 de I Co 11:1-16:

1- “Sede meus imitadores, como eu sou de Cristo.” – Neste versículo, Paulo mostra que a autoridade da sua pregação e ensino, vem de cristo, pois ele, Paulo, procura imitar a Cristo, e, por isso, aconselha a todos que o ouvem, ou lêem, a imitá-lo também, pois assim todos estarão imitando a Jesus;

2- “Eu vos louvo, irmãos, pois em tudo vos lembrais de mim, e retendes os preceitos como vô-los entreguei.” – Aqui, Paulo exalta os irmãos de Corinto por terem recebido e colocado em prática os ensinamentos dele. Os coríntios estavam imitando Paulo e isso era do agrado do Apóstolo, pois era ensinamentos de Jesus;

3- “Mas quero que saibais que Cristo é a cabeça do homem, o homem a cabeça da mulher, e Deus a cabeça de Cristo” – Neste versículo, Paulo dá a hierarquia de acordo com a vontade de Deus. Ele mostra que Deus é a cabeça de Cristo, que Cristo é a cabeça do homem e que o homem é a cabeça da mulher. Assim, o Filho está submisso ao Pai, o homem está submisso ao Filho, e a mulher está submissa ao homem (marido);

4- “Todo homem que ora ou profetiza com a cabeça coberta, desonra a sua própria cabeça.” – Note que aqui, há uma proibição para o homem de cobrir a cabeça. Se o homem cobrir-se com véu para orar ou profetizar, estará desonrando a sua cabeça que é Cristo. Isso acontece porque, antes da vinda de Cristo, o Espírito Santo não habitava no homem. Ele vinha, temporariamente, sobre o homem para executar uma obra, retirando-se em seguida. Quando Moisés conversava com Deus, enchia-se da Glória de Deus, mas quando ia falar para o povo sobre o que Deus dissera, a Glória ia se desvanecendo. Moisés, então, cobria-se com um véu para que o povo não percebesse a glória que se desvanecia. Daí surgiu o costume dos homens cobrirem-se com um véu quando iam orar. Ocorre, porém, que depois da vinda de Jesus, o Espírito Santo passou a fazer morada nos convertidos e, por isso, os homens de Deus, não podem cobrir a cabeça para orar, ou profetizar, pois, se assim fizerem, estarão ocultando a Glória de Deus que resplandece em seus semblantes. Se assim o fizerem, estarão desonrando a sua cabeça que é Cristo. Paulo deixa isto bem claro na seguinte passagem: “E não somos como Moisés, que punha um véu sobre a face para que os filhos de Israel não fitasse o fim da glória que se desvanecia. Mas os seus sentidos foram embotados, pois até hoje à leitura da antiga aliança, permanece o mesmo véu. Não foi removido, porque somente em cristo ele é abolido. E até, hoje, quando é lido Moisés, o véu está posto sobre o coração deles. mas quando um deles se converte ao Senhor, então o véu é-lhe retirado. ora, o Senhor é o Espírito, e onde está o Espírito do Senhor aí há liberdade. Mas todos nós, refletindo a Glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor” (II Co 3:13-18).

Observe que Paulo está, aqui, falando de homens e mostrando a razão pela qual o homem não pode cobrir a cabeça, quando ora. Mostrando, ainda, porque o homem desonra a Cristo, quando cobre a cabeça para orar, ou profetizar;

5- “Mas toda mulher que ora ou profetiza, com a cabeça descoberta, desonra a sua própria cabeça, é como se estivesse rapada.” – Paulo, agora, faz uma afirmação contundente a respeito da mulher. Ele diz que toda mulher que ora ou profetiza com a cabeça descoberta, isto é, sem véu, desonra a sua própria cabeça, que é o homem (marido). Mas o que tem a ver o usar o véu na Igreja com o desonrar o marido? Paulo aí faz uma comparação com a vida social da época. Naquele tempo, havia uma relação entre a honra da mulher e o comprimento do cabelo. As mulheres honradas deviam usar o cabelo comprido para serem diferenciadas das prostitutas que deviam usá-los bem curtos ou rapados. Quando se olhava para uma mulher que tinha cabelo curto ou cabeça rapada, já se sabia de antemão que ela era uma prostituta, ou gentia. Isso, porém, acontecia na vida social, não na Igreja. Mas mesmo quando andavam pelas ruas, as prostitutas cobriam-se com um véu para não deixar transparecer na sociedade a sua promiscuidade. O uso do véu, ensinado por Paulo, porém, era na Igreja e não na sociedade. Paulo, então faz a comparação, que se a mulher honrada, ou seja, que tinha cabelo comprido e estava sob o jugo de um homem (marido), orasse na Igreja, ou profetizasse, sem estar usando o véu, ela estaria desonrado o seu marido, pois a falta do véu na Igreja era desonra para o marido, uma vez que mostrava que a esposa não lhe era submissa, tanto quanto, a falta de cabelo era desonra na sociedade, visto que era próprio de prostitutas e gentias. Por isso ele diz: “é como se estivesse rapada”. A mulher estaria se igualando a uma prostituta, pois estava tirando de sobre ela o sinal de submissão, que na Igreja era o véu;

6- “Se a mulher não se cobre com o véu, tosquie-se ou rape-se também; e se para a mulher é vergonhoso tosquiar-se , ou rapar-se que ponha o véu”. – Observe que aqui Paulo é taxativo: Se a mulher não quer usar o véu na Igreja, então corte o cabelo bem curto (tosquiar-se), ou então rape-o. Duas coisas ficam muita claras aqui: A primeira é que: se é para a mulher que não quer usar véu, cortar o cabelo ou rapá-lo, é porque ela ela tem cabelo comprido. Assim, Paulo está falando para mulheres honradas, que têm o cabelo comprido. E em segundo lugar, ele afirma que o uso do véu na Igreja é necessário, tanto quanto o cabelo o é na sociedade, a ponto de que se a mulher não quiser usá-lo, então corte o cabelo ou rape-o, o que a tornará igual a uma prostituta. Depois ele completa, se é vergonhoso para a mulher cortar o cabelo ou rapá-lo, então que ela use o véu, para não desonrar o seu marido (sua cabeça);

7- “O homem não deve cobrir a cabeça, pois é a imagem e a glória de Deus, mas a mulher é a glória de homem”. – Tem-se aí a confirmação do porquê o homem não deve cobrir a cabeça, mas a mulher sim. Sendo o homem a glória de Deus, não deve cobri-la para que a glória de Deus resplandeça na face dele, mas a mulher sendo a glória do homem, deve cobri-la para que a glória do homem não resplandeça diante da glória de Deus;

8- “Pois o homem não proveio da mulher, mas a mulher do homem”. – Aí está a razão da hierarquia. Deus fez o homem e deu-lhe o seu Espírito (Sopro), mas a mulher foi feita do homem que já estava pronto. Deus tirou a matéria prima do homem para fazer a mulher, logo a mulher é carne e osso do homem, por isso deve honrá-lo;

9- “O homem não foi criado por causa da mulher, mas a mulher por causa do homem”. – Isso implica dizer que o homem veio primeiro. A mulher veio depois para ser companheira, ajudadora do homem e não o contrário;

10- “Portanto, a mulher dever ter sobre a cabeça um sinal de submissão, por causa dos anjos”. – Assim na Igreja o sinal de submissão da mulher ao marido é o véu, e na sociedade o sinal de submissão é o cabelo. Na sociedade o cabelo é para referencial do homem, mas na Igreja o véu é para referencial dos anjos;

11- “Todavia, nem o homem é independente da mulher, nem a mulher é independente do homem, no Senhor.” – Paulo mostra que ainda que na atualidade um é dependente do outro, a hierarquia da criação deve ser mantida, continuando, assim a hierarquia mostrada no versículo de nº 3. Cristo é a cabeça do homem, o homem a cabeça da mulher e Deus a cabeça de Cristo;

12- “Pois como a mulher proveio do homem, assim também o homem nasce da mulher, mas tudo vem de Deus”. – Paulo continua explicando a hierarquia e a interdependência entre o homem e a mulher;

13- “Julgai entre vós mesmos: é próprio que a mulher ore a Deus com a cabeça descoberta?” – Depois de dar todos os ensinamentos necessários Paulo apela para o bom-senso dos coríntios, mandando que eles, agora, que conhecem toda a verdade, julguem entre eles mesmos, se é direito uma mulher orar na Igreja sem usar o véu;

14- “Ou não vos ensina a mesma natureza que é desonroso para o homem ter cabelo comprido?” – Aqui, Paulo faz uma pergunta, que é, ao mesmo tempo, muito esclarecedora. Ele diz que a natureza ensina que é desonra para o homem ter cabelos compridos. Onde, pois era desonroso para um homem ter cabelo comprido? Na sociedade, é claro. Os homens, mesmo não crentes, usavam cabelos curtos por uma questão de honra social. Só usava, livremente, cabelo comprido, aqueles que fizessem voto de nazireado, mas estes não participavam da vida social ativa, pois estavam separados por voto, uma vez que estavam totalmente consagrados a Deus;

15- “Mas a mulher ter cabelos compridos lhe é honroso, pois o cabelo lhe foi dado em lugar de véu”. – Aqui, também, Paulo faz uma afirmação muito esclarecedora: “Mas para a mulher lhe é honroso ter o cabelo comprido”. Onde que era honroso para a mulher ter cabelo comprido? Na sociedade, é claro, pois se o cabelo fosse curto ou rapado, ela seria uma prostituta e, portanto, desonrada. Paulo completa, ainda: ”Pois o cabelo lhe foi dado em lugar de véu”. Nesta afirmação, Paulo volta à comparação do versículo nº 5, onde ele diz que a mulher honrada e de cabelo comprido deve usar o véu na Igreja. Isso indica a sua honra e a honra do seu marido. Paulo diz ainda que para a mulher honrada o sinal da sua submissão é o véu na Igreja e o cabelo na sociedade;

16- “Mas se alguém quiser ser contencioso, nós não temos tal costume, nem as Igrejas de Deus”. – Aqui, Paulo esclarece que, se depois de todos esses ensinamentos, se alguém ainda quiser questionar, discutir o assunto e não aceitar a determinação, é porque tal pessoa é contenciosa, mas que nem ele Paulo, nem as Igrejas de Deus têm o costume de viverem em contendas. Logo, tal pessoa, não pertence, verdadeiramente, à Igreja de Deus.

Outro ponto polêmico sobre este assunto, é o fato de alguns alegarem que este ensinamento só foi dado para a Igreja de Corinto e para mais nenhuma. Logo, segundo os que assim afirmam, somente a Igreja de Corinto deveria usar o véu, para diferenciar as mulheres de Corinto de prostitutas cultuais dos templos pagãos. Se essa fosse a verdade, então Corinto não precisava ter recebido esta informação, mas sim a Igreja de Éfeso, onde havia o Templo da deusa Diana com cerca de 2.000 prostitutas cultuais e, cujo Templo era algo fenomenal. Portanto, tal afirmação sobre o fato de que o véu só devia ser usado na Igreja de Corinto denota a falta de um entendimento adequado do contexto bíblico, pois o Evangelho de Jesus e os seu ensinamentos são para todos os cristãos, logo para todas as Igrejas. O fato de só a Igreja de Corinto ter recebido esta advertência, deu-se porque a Igreja de Corinto foi a única a se rebelar contra o uso do véu. Entre as demais Igrejas, nenhuma se rebelou e Paulo deixa isso bem claro no versículo 16, quando diz: “Se alguém quer ser contencioso, ele, Paulo, não tem este costume nem as Igrejas de Deus”.
Note que ele põe no plural> ”nem as Igrejas de Deus”. Tal rebeldia aconteceu, quando as mulheres da Igreja de Corinto tomaram conhecimento da Epístola que Paulo havia escrito aos Gálatas, principalmente do teor da seguinte passagem: “Todos vós sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus, pois todos vós que fostes batizados em Cristo, vos revestistes de Cristo. Desta forma não há judeu, nem grego, não há escravo, nem livre, não há homem, nem mulher, pois todos vós sois um em Cristo Jesus. E, se sois de Cristo, então sois descendentes de Abraão, e herdeiros conforme a promessa” (Gl 3:26-29). Quando tomaram conhecimento disso, as mulheres de Corinto passaram a reivindicar a igualdade com os homens e começaram a criar contendas, não querendo mais usar o véu. Esse ponto e muitos outros geraram uma polêmica grande em Corinto, obrigando o Apóstolo Paulo a escrever esta Epístola para orientá-los. É por isso que Paulo diz:“A respeito de vós, irmãos, fui informado pelos da família de Cloé, que há contendas entre vós” (I Co 1:11). Observe que também, aqui, Paulo usa o plural “contendas” e não o singular “contenda”. Isso demonstra que as contendas eram sobre diversos assuntos. Após ter dado as devidas explicações sobre estes assuntos e de falar sobre a necessidade de se ter ordem nos cultos, Paulo faz a seguinte colocação: “Se alguém cuida ser profeta ou espiritual, reconheça que as coisas que vos escrevo são mandamentos do Senhor. Mas se alguém ignora isto, será ignorado” (I Co 14:37,38).

Consequentemente, se são ordens do Senhor, em todas as Igrejas de Cristo, as mulheres devem usar o véu, pois o Evangelho de Jesus é um só para todos os povos e nações. Mas, se alguns cheios de “achismos” e interesses pessoais, não concordam e querem contender, não condenem aqueles que cumprem a Palavra de Deus, pois as Igrejas de Cristo não têm como costume a contenda. Ocorre que hoje a mulher não é submissa ao marido, e à semelhança da Igreja de Corinto as mulheres atuais reivindicam igualdade com o homem e muitas até afirmam superioridade. Dentro desse princípio já não é a mulher que foi criada para o homem, mas o homem que foi criado para a mulher, o que vem contradizer de forma contundente os propósitos e a Palavra de Deus. Assim, podemos concluir que a Epístola de Paulo enviada à Igreja de Corinto é muito bem apropriada para ser enviada, também, às mulheres de hoje.

Responder
Prof. Américo disse:
29 29UTC janeiro 29UTC 2010 às 13:31
Na minha postagem a respeito do véu já tem a resposta a essa pergunta, mas tudo bem! vamos lá novamente. O fato é que somente as mulheres da Igreja de Corinto se rebelaram contra o uso do véu. Quando elas souberam da espístola que Paulo tinha escrito aos Gálatas (Gl 3:26-29), onde é dito que não há judeu, nem grego, nem escravo nem livre, nem homem, nem mulher mas que todos são um em Jesus, as mulheres de Corinto começaram a reivindicar igualdade com os homens e se os homens não usavam véu elas também não precisariam usar. Mas esse foi um entendimento errado daquelas mulheres, porque Paulo mostrava a igualdade diante de Deus e não nas obrigações humanas. Isso e outras contendas geradas na Igreja de Corinto obrigaram Paulo a escrever uma carta para orientar os coríntios que estavam em conflito. é tanto que Paulo no final diz que se alguém quiser ser contencioso ele não tem tal costume nem as Igrejas de Cristo. Note que aí ele deixa bem claro, que as outras Igrejas não estavam causando polêmica por esta razão, mas apenas a Igreja de Corinto, por isso somente ela recebeu essa advertência e somente na carta escrita a ela foi feita referência tão minuciosa para mostrar para aquelas mulheres que elas deveriam continuar usando o véu. Isso já era um costume do povo de Deus (judeus) fundamentado na lei e como o que foi mudado foi a lei sacerdotal levítica as demais coisas continuaram em vigor, tanto é que Paulo mostra para a Igreja de Corinto as razões pelas quais as mulheres tem que usar o véu. Espero ter respondido a sua pergunta, mas caso aja alguma dúvida pode perguntar mais especificamente, que no que for do meu conhecimento eu terei o maior prazer em responder.
Que Deus o abençoe abundantemente!

20 04 2011
jhb

e pode ser dessa forma que acredito ser a mais correta

1 ª – A glória de Deus, que é representada no homem: “O varão, pois, não deve cobrir a cabeça, porque é a imagem e a glória de Deus” (v.7);

2ª – Existe a glória do varão: “Mas a mulher é a glória do varão” (v.7);

3ª – E também a glória da mulher: “ter a mulher o cabelo crescido lhe é uma glória” (v.15);

e dentro da igreja somente a gloria de deus deve estar presente, então como a mulher é a gloria do varão, ou a gloria do homem, usamos o véu, para que a gloria do homem não resplandeça junto com a gloria de DEus..

20 04 2011
jhb

juliano qual o motivo de apontar ou colocar em suspeita essa denominação?

9 05 2011
Juliano Rosa

Colocar em suspeita qual denominação?

Bem, esse texto é uma crítica a crítica feita pelo pr. Amaral, em seu livro “Igreja do Véu: igreja ou heresia?”.

Muitos que comentaram aqui não entenderam isso…
:)

18 08 2011
Adriano N.

As Assembleias de Deus, que tanto combatem o véu da CCB talvez não saibam que “Asambleas de Dios” Italianas usam o véu…você sabia disso???
Preste bem atenção nos videos abaixo.
Mulheres com véu e misturadas aos homens.

Centenario A.D.I (Assemblee di Dio in Italia)

Janis cantando 500 graus – Assemblee di Dio in Italia

A Paz de D’us !!

3 05 2011
jhb

juliano, vc já foi analisar a questão do presidente MAnoel ferreira da AD, realizando uma parceria com o REv MOOn?
não?

então é bom analisar!

18 05 2011
Ed Carlos

QUERO DIZER SOU DE UM LAR DIVIDIDO MAE ASSEMBLEIANA E PAI CONGREGACAO CRISTA,OS MELHORES ENSINAMENTOS QUE TIVE DENTRO DO MEU LAR VIERAM POR PARTE DE MINHA MAE,QUANDO CRESCI E PASSEI A CONHER O BEM E O MAL DECIDI ADERIR A cRISTO TIVE QUE DECIDIR SEGUIR UMA DESTAS DUAS IGREJAS ,COMO OS MELHORES ENSINAMENTOS VIERAM DE MINHA MAE,OS MELHORES EXEMPLOS DE CRISTAO VIERAM DE MINHA MAE ENTAO CHEGUEI A CONCLUSAO QUE A MINHA IGREJA SERIA ASSEMBLEIA DE DEUS,MAS NAO QUERO COM ISTO DIZER QUE DEUS NAO ESTA NA CONGREGACAO ,MAS QUE OS ENSINOS DA ASSEMBLEIA DE DEUS SAO MELHORES E TEEN MAIS BASE BIBLICA E OS ENSINOS E DOUTRINAS DA ASSEMBLEIA DE DEUS TEM MAIS FUNDAMENTO E FAZEM MAIS SENTIDO EM RELACAO A VIDA DE CRISTAO,QUE DEUS POSSA ABENCOAR A TODOS TANTO DA ASSEMBLEIA COMO OS DA CONGREGACAO,A PAZ DO SENHOR JESUS ESTEJA COM TODOS.

29 07 2011
WILLYANS M DE OLIVEIRA

A PAZ DE DEUS,EM NOME DO SENHOR JESUS,INFELIZMENTE VEMOS,MUITOS COMENTÁRIOS E OPINIÕES,E RELAÇAÕ A CCB,E FICAMOS ANALIZANDO COMO TEM PESSOAS INCOMODADAS COM ESSA DENOMINAÇÃO,FALANDO DE DOUTRIANAS,COMPORTAMENTOS,USOS E COSTUMES,VÉU,OSCULO SANTO,ETC,E O MAIS CURIOSO,É QUE ESSAS PESSOAS,SE DIZEM CRISTÃS E SERVOS DE DEUS,ATÉ HOJE NÃO VI NINGUEM DO MINISTÉRIO DA CCB,CRIAR BLOGS OU SITES,PARA FALAR DE IGREJA A OU B,PELO CONTRÁRÍO,MUITOS EVANGÉLICOS FALAM MAL DA CCB,SEM AO MENOS TER ASSISTIDO A NENHUM CULTO NA CCB,MAS SOMOS E TEMOS QUE SER RESPEITOSOS E AMOROSOS COM TODOS,CRENTES E NÃO CRENTES,SÓ ASSIM SEREMOS HUMILDES E MANSOS COMO O SENHOR JESUS,NOSSO SALVADOR,E NOSSA UNICA PREOCUPAÇÃO É SERVIR A DEUS COM ALEGRIA,TEMOR,HUMILDADE,DISSERNIMENTO ESPIRITUAL,SÓ ASSIM ALCANÇAREMOS A VIDA ETERNA.

24 11 2012
cleomar

claro vc nao cria blog mas sempre costuma comentar nos blogs alheios, pois a biblia que conheco diz que se participar na roda dos escarnecedos nos tornamos iguais a eles,pois então vc esta como aqueles que esta julgando, não quero conhiço que penso e concordo com vc ,pois acredito que so quando discuto algo é atraves desse dialogo que posso ter a possibilidade de crescer. pegue a biblia e filtre tudo que vc le depois faça uso do que passou no filtro biblico amen. paz

10 01 2012
daoguede3s

FUI DA CONGREGACAO POR 12 ANOS ,E MUSICO POR 10.DURANTE ESSE TEMPO PERCEBI QUE HAVIA UMA PREOCUPACAO MUITO GRANDE EM PREGAR SOBRE VEU .OSCULO SANTO,ORAÇAO DE JOELHOS REBATISMO,ETC.Nao se tem um estudo da biblia mais aprofundado para os jovens.biblicamente,sao leigos na maioria escutam mais os ensinamentos passados pelo irmao anciaoEu sempre fui leitor da biblia,e la me faltava algo.hoje na assembleia por mais que se fale em dizimo e pastor assalariado. la todos sao cheios do comhecimento da palavra do Senhor

18 03 2014
capcamargo

Irmão…eh bom sim conhecer a bíblia, mas não eh isso q te levara para o ceu.. a Palavra de Deus não é uma ciência exata , se assim fosse como vc explicaria com cálculos matemáticos a multiplicação dos peixes ou tantas obras e libertações impossíveis para o homem. Eu sou da congregação e não julgo outras denominações, mas o que me faz permanecer nesse caminho que eu acredito que não por ser ccb eu vou pro céu, mas é o caminho que prega a verdadeira doutrina, lembre-se o caminho é estreito.. é saber que muitas vezes sobe no púlpito um homem que trabalhou o dia inteiro, que mal tem leitura, que tropeça nas palavras, mas que quando ele abre a boca em nome do Sr. Jesus é o verdadeiro Deus falando na boca dele…e que a palavra foi revelada pelo Espirito Santo, e que muitas vezes descobriu o segredo do meu coração, me fez promessas que se cumpriram… isso é sentir Deus.Saber que nada foi programado, estudado, nem planejado para ser falado…
Pense bem se algum dia onde vc esta hj vc já sentiu Deus falando cara a cara com vc. no ultimo dia todo conhecimento findara, serão escolhidos os especiais, zelosos e de boas obras.

11 02 2012
Fernanda

Quano Deus voltar muitos irão ficar pendurados na Plada da igreja Congreção Cristã.

A Paz

8 06 2012
Sac

A paz de Deus

Irmão Juliano

Embora um tanto tarde – relendo estes artigos – bem elucidativos, diga-se de passagem – queria tirar uma dúvida: Na parte (2) deste artigo: “Fazendo um paralelo, hoje temos quase 62% dos evangélicos americanos na Assembléia de Deus……”.
O irmão fez seu comentário com base na população geral do País(trezentos milhões), e não na população ‘Evangélica Pentecostal’ existente no País que, parece ser o que o interlocutor se refere.(?)
Perdoe se não entendi bem.

Deus abençoe.

grato

12 11 2012
JEFERSON

sou leigo;; mas naõ sabia que a CCB e AD dava salvaçao ou levava alguem para o ceu o meu ver nao passa de comerçio pois quem morreu na cruz foi SR JESUS ;;;;;;

17 11 2012
Fernando Souza

Nunca cite a CCB como “pentecostal”, pq nos cremos no surgimento em Cristo e não na Pentecostia… Não queremos comparação com a “Assembeia de Deus”, pois eles não respeitam a graça que Cristo nos deixou, e sim a Lei de Moises…Não haveria contradição nisso?… Pedimos que não cite o nome da CCB em difamação, nem em blasfemia, pois este pecado é contra o Espirito Santo e a fé da igreja… Conheça a Biblia, a doutrina que Jesus nós deu, pra novamente falar do nome da CCB, ou desta SIGLA…

24 11 2012
cleomar

fernando sousa desculpe se não entendi o comentario feito a outro irmão,mas não vejo que falar da sigla ou do nome da sua denominaçao seja blasfemia, pois dessa forma vc tem colocado o nome e sigla até mais alto do que o nome de Jesus ,vc citou a bibila e te convido a conhecer tambem porque lhe falta conhecimento,posso lhe afirmar que a biblia me ensina que não a perdão somente blasfemia contra o espiritp santo,não iguale a sigla a pessoa do Espirito Santo.

12 03 2013
edivaldo

Tantas almas na escuridão e vcs discutindo qual e a verdadeira igreja….hipocritas…JESUS diz q ele e o caminho a verdade e a vida….a igreja são aqueles q fazem sua obra q pregam o arrependimento e o batismo …ele não abita em templos feitos por maõs humanas..

6 06 2013
Raiissa Arcanjo

sou uma membra da Ccb e quase tudo esta errada não queremos quantidade em números ,mais sim que acreditem na inteira palavra de Deus ,agora se para vocês não basta …. Melhor que fiquem quietos porque a Ccb é uma benção que quem vai conhece-la no primeiro dia fica maravilhado mais eu prefiro estar na Ccb do que estar na Assembleia de Deus na onde os hinos não tem nada a vê e ainda é um povo que quando esta fora da igreja nem parece evangélico…

23 03 2014
José Francisco

O comentário do prof.JOSÉ AMÉRICO VITORINO é A “MELHOR EXPLICAÇÃO” q vi e ouvi até hoje.Deus lhe deu o “perfeito” entendimento da sua ‘PALAVRA”. Q Deus o conserve com “vida longa” pois tem mta coisa boa para passar para os “crentes”. Gostaria de ve-lo dissertar tbem sobre o “OSCULO SANTO” e outros assuntos como SANTA CEIA servida em “copinhos plásticos” e outros de interesse cristão, mas q os assembleianos divirtuam. Me perdoem o comentário, mas ñ quiz ofender ninguém, apenas abrir-lhes os “olhos”. A paz de Deus a todos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 28 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: