Plágio

22 12 2005

Plágio é um caso sério. Além de ser, obviamente, uma mentira (estar atribuindo aquilo de outrem a si próprio), é uma contravenção penal. O meio evangélico poderia estar fora. Não está.

Exemplo claro disso foi a disputa entre a Editora Abba Press e a Editora Agnos, motivada pela semelhança entre dois de seus produtos, respectivamente, ‘Glorioso Retorno: o final dos tempos’ e ‘O Glorioso Aparecimento: o fim das eras’.

De mim, isso é claro. O que escrevo, é meu. O que não é, fica entre aspas. Em casos peculiares, é ainda importante a tácita concordância do autor. O que passa disso é mau-caratismo e vigarice.

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: