Podemos ter certeza da salvação?

29 04 2010

I.

Seria pretensão o crente se autodenominar salvo? Seria sinal de humildade dizer que aguarda um momento futuro para ter essa certeza? A resposta para essas questões é simples, se intermediadas por uma reflexão sobre a natureza da fé e das obras na salvação do pecador.

II.

Em Gálatas, o apóstolo Paulo deu provas cabais de que a fé em Cristo Jesus como Suficiente Salvador é a única forma de uma pessoa alcançar a salvação. A fé, nesse sentido, não é entendida como um ato humano, como um simples querer. A fé não é, em suma, uma obra humana.

O que é, pois, a fé? Paulo é claro: a fé é um dom de Deus. Dom de Deus! E assim o é  por um motivo muito simples: para que ninguém se glorie por, supostamente, ter fé (Ef. 2:8-9).

[Parênteses: para refutar a importância dessa fé produzindo a certeza de salvação ao crente, alguns argumentam que crer até o diabo crê. Ora, não se trata de crer que Cristo exista. Isso, para o Chefe das Legiões do Mal, é desnecessário, porque ele não precisa crer; ele, há centenas de anos, sabe, por constatação, que Deus tem um Filho que, por seu amor à humanidade, O ofereceu em holocausto. Nada deve irritá-lo mais que isso: saber que, pela imensa misericórdia de Deus, Seu Filho foi imolado para que a Salvação fosse estendida a tantos outros esparramados pelo mundo.]

A verdadeira fé impacta a natureza humana, tendenciosa que é ao pecado. Os prazeres carnais, que antes tanto prazer proporcionava, agora são motivos de tristeza ao recém convertido. A fé, portanto, produz arrependimento. É a ação do Espírito Santo constrangendo os caminhos do cristão pelos retos caminhos.

Assim, a fé viva e genuína produz boas obras. As obras são conseqüência da fé. Isso porque é a fé que sustenta a vida cristã. Mesmo assim, as obras manifestadas pelo homem nunca são, em sua integridade, perfeitas e justas. As obras produzidas pela fé cristã apenas acenam para isso.

III.

Pois bem. Dado esse quadro, é possível dizer que as obras, por si só, nada são. Se elas nada são, o que pode dar algum indício de salvação é a presença da genuína fé em Cristo Jesus. Ora, mas como saber se a fé que se tem é genuína, é uma fé cristã viva?

Simples: a fé viva produz frutos do espírito. Amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança (Gálatas 5:22). Essas qualidades acompanharão o cristão que possua viva e verdadeira fé.

Ora, e o que é a fé, senão o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem (Hebreus 11:1)? Se, através da fé, temos firme fundamento das coisas futuras, é natural que nossa fé aponte para nossa salvação, de modo que, sendo nossa fé verdadeira e genuína, temos total convicção de que fomos salvos (pela morte de Cristo na cruz, expiando nossos pecados), somos salvos (porque o Senhor Jesus se fez, para nós, regeneração) e seremos salvos (porque o Senhor Jesus se fez, para nós, santificação e redenção).

Anúncios

Ações

Information

One response

29 04 2010
Ismael

Ótimo texto.

A certeza vem do alto. Quem crê, crê não por que em si mesmo encontrou obras dignas de aceitação junto a Deus, mas por que recebeu fé para crer no Senhor Jesus, reconhecendo que é um pecador perdido.

Um abraço,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: